Trem das Montanhas Capixabas

O Trem das Montanhas Capixabas percorre um trecho da Mata Atlântica, passando por pequenas e belas cidades, onde pode-se contemplar em meio a beleza deste percurso um pouco de nossa história e cultura.

O inicio da viagem é na cidade açoriana de Viana à 23 quilômetros de Vitória, passa por pequenas propriedades em meio a áreas da Mata Atlântica preservadas, realiza sua primeira parada em Domingos Martins, onde dois túneis e uma ponte suspensa sob o Rio Jacu são os pontos mais relevantes do trajeto, seguindo até o Distrito de Araguaia pertence a Marechal Floriano.

Viana faz parte da Região Metropolitana de Vitória e é uma ótima opção para os turistas que buscam tranqüilidade. O município faz parte da Rota do Mar e das Montanhas, junto com Vitoria, Domingos Martins, Marechal Floriano e Venda Nova do Imigrante, a rota é marcada pelo clima agradável, belas paisagens, natureza exuberante e fortes traços da colonização européia. A cidade de Viana tornou-se o Portal de Entrada da Região de Montanhas e oferece aos seus visitantes diferentes opções de passeios em trilhas, voo livre, parapente, entre outros.

A cidade de Domingos Martins, fica apenas a 42 quilômetros de Vitória e conquista o turista pelas exuberantes paisagens, comidas típicas e pelo seu povo acolhedor, que tornam a cidade um lugar de bem estar para todos que a visitam. O município hoje é considerada a cidade mais romântica do Brasil, sendo conhecida nacional e internacionalmente, com grande movimentação de turistas, especialmente na temporada de inverno, estação que deixa a cidade ainda mais charmosa. Além disso, para os que curtem emoção e adrenalina, a natureza privilegiada do município, proporciona várias opções de esportes radicais e ecoturismo.

Conhecida como “Cidade das Orquídeas”, o município de Marechal Floriano também está situado na região das Montanhas Capixabas. A localidade se destaca por possuir um clima agradável, além de belas cachoeiras, paisagens naturais e a saborosa gastronomia, com comidas típicas da culinária italiana e alemã. Os visitantes têm a opção de conhecer o charme dos casarios e das antigas estações ferroviárias, um dos principais atrativos forma uma paisagem bucólica e de interior, onde o Rio Jucu Braço Sul serpenteia, junto à rodovia, uma bela corredeira. Cercado por vegetação característica da Mata Atlântica, no município é possível também admirar espécies de árvores de grande beleza, além da fauna da região, rica em biodiversidade.

O Distrito de Araguaia pertence a Marechal Floriano e possui cerca de 2.500 habitantes, porém, na vila, esse número não passa de 700 pessoas. Araguaia possui uma história riquíssima, já que por lá passaram inúmeros imigrantes italianos, inclusive aqueles que colonizaram o município de Venda Nova do Imigrante. Os imigrantes que vinham de navio aportavam na Vila de Reritiba, hoje município de Anchieta. De lá subiam em barcos pelo Rio Benevente até a Vila de Matilde, Distrito de Alfredo Chaves, localizado a cerca de 25 km de Araguaia. Tem entre seus atrativos uma Igreja com mais de cem anos, a Estação Ferroviária, o Centro Cultural Ezequiel Ronchi, que contém um acervo de mais de 500 peças contando a história da colonização do município, peças de artesanato, entre outros.

 

Desde 2010 a linha é operada pela empresa Serra Verde Express, percorrendo 46 quilômetros em uma Litorina que conta com ar condicionado, guia poliglota, confortáveis poltronas de couro, amplas janelas e serviço de bordo

O trecho ferroviário foi inaugurado em 1895, sendo conhecido na época como Leopoldina Highway, em homenagem à Maria Leopoldina, primeira imperatriz do Brasil.

O passeio de trem tem cerca de duas horas e meia de duração, com três paradas durante o trajeto. Nas estações, moradores vendem artesanato, doces e bolachas.

Mais história

A Estrada de Ferro Leopoldina surgiu com a construção de um trecho de ferrovia que ligava a cidade de Além Paraíba a Leopoldina, ambas no interior do estado de Minas Gerais. A construção ficou a cargo do Engenheiro Antônio Paulo de Mello Barreto e a inauguração do primeiro segmento, de 27 km, deu-se em 08 de outubro de 1874, quando foram abertas ao tráfego as estações de São José, Pântano e Volta Grande, contando com a presença do imperador D. Pedro II e diversas autoridades.Ainda em 1874 foram concluídas as estações de São Luís e Providência, e só em julho de 1877 o trajeto foi completado, com a inauguração das estações de Cataguases (antiga Santa Rita de Meia Pataca) e Leopoldina, perfazendo um total de 120 km. A ferrovia contemplava um tráfego bastante intenso de mercadorias, com predominância do café e de passageiros.

Em agosto de 1887 a Estrada de Ferro Leopoldina atingiu o território fluminense, ao adquirir a Estrada de Ferro Cantagalo, que ligava o ramal de Porto das Caixas a Macaé. Em Minas Gerais a estrada já estava bastante ramificada. Em 1890 a Leopoldina incorporou várias linhas localizadas no Rio de Janeiro e Espírito Santo ampliando, assim, seus serviços nas duas províncias. Foram acrescentados os trechos: linha tronco de Araruama, Estrada de Ferro Príncipe do Grão Pará, Estrada de Ferro do Norte, Estrada de Ferro Central de Macaé, ramal de Imbetiba a Campos, ramal de Campos a São Sebastião, Santo Antônio de Pádua, Estrada de Ferro Cantagalo e trecho de Santo Eduardo a Cachoeiro do Itapemirim.

 

Com a abertura ao tráfego, em agosto de 1891, da linha de Campos a São Fidelis e a inauguração do prolongamento de Barão de Araruama a Ventania (depois Trajano de Morais) e do ramal de Paraoquena a Cisneiros, a extensão das linhas da Companhia Estrada de Ferro Leopoldina atingiu, ainda naquele ano, cerca de 2.127,582 km assim distribuídos: 844,117 km em Minas Gerais; 1.246,465 km no Rio de Janeiro; e 37 km no Espírito Santo.

A situação financeira da companhia, porém, começou a piorar por volta de 1890 e por isso o governo imperial optou, então, por socorrê-la com um empréstimo externo que possibilitasse a sua reorganização. Em 03 de abril de 1897 foi aprovada a sua liquidação e, de acordo com uma proposta dos credores ingleses, foi organizada em Londres uma sociedade anônima para continuar a exploração da sua malha, passando a denominar-se The Leopoldina Railway Company Limited., cuja sigla LR tornou-se bastante conhecida.

A situação das instalações e infra-estrutura das linhas recebidas pela Leopoldina Railway era bastante precária, obrigando a companhia a disponibilizar uma soma razoável para viabilizar seu funcionamento e também para ampliar a malha. Assim, com a reforma das estações, da via permanente e do material rodante, somada à reorganização de seus serviços, à construção de novos trechos e um acordo com a Central do Brasil que permitia vantagens recíprocas, a Leopoldina Railway passou a apresentar novo desempenho, melhorando sua situação econômica.

Além das melhorias, várias obras de prolongamentos foram realizadas. Uma das principais obras empreendidas pela Leopoldina Railway foi o prolongamento da linha de Itapemirim até a cidade de Vitória, uma reivindicação do governo estadual. Para tanto, em 20 de junho de 1907, a companhia adquiriu do governo federal a Estrada de Ferro Sul do Espírito Santo, promovendo, então, as melhorias e os prolongamentos necessários para estabelecer a ligação de Vitória com a capital federal e com o estado de Minas Gerais.

Foram construídos 81 km de Matilde a Muniz Freire, com um custo relativamente elevado devido às condições difíceis e acidentadas do terreno. Por volta de 1931, a rede da Leopoldina Raiway partia do Distrito Federal e passava pelos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e de Minas Gerais.

O declínio comercial do transporte ferroviário, tal ocorreu com outras estradas de ferro, também afetou a Leopoldina e sua capacidade de tráfego foi bastante reduzida. Em 20 de dezembro de 1950, para solucionar a crise, o governo federal encampou a ferrovia passando a adotar seu nome original de Estrada de Ferro Leopoldina. Nessa mesma década a Leopoldina recebeu da Central do Brasil diversos trechos, destacando-se a Estrada de Ferro Maricá, na ligação entre Neves (em Niterói) e Cabo Frio (RJ) e a ligação entre Magé e Teresópolis. Na década seguinte, recebeu um trecho da Linha Auxiliar, entre Japeri e Três Rios, provavelmente em substituição à linha de Petrópolis, erradicada na mesma época. Vale destacar que, entre as décadas de 1960 e 1970, no período da Rede Ferroviária Federal S. A. (RFFSA), foram erradicados diversos ramais da Leopoldina.

 

Com a criação da RFFSA em 1957, a Estrada de Ferro Leopoldina foi nela incluída, passando em 1969 a ser conhecida como 7ª Divisão Leopoldina. Na década de 1970 foi incorporada à Superintendência Regional Rio de Janeiro-SR3, como Superintendência de Produção Campos-SP3.2. Posteriormente foi transformada em Superintendência Regional Campos-SR8, permanecendo como tal até 1996, quando, dentro do programa de desestatização da RFFSA, iniciou-se a concessão da malha Centro-Leste, que incluía as linhas da antiga Estrada de Ferro Leopoldina, para a Ferrovia Atlântica.

Em janeiro de 2010 a Serra Verde Express colocou em atividade o Trem das Montanhas Capixabas, que passa pelas cidades de Viana, Domingos Martins e Marechal Floriano. A litorina, com capacidade para até 56 passageiros, circula todos os fins de semana e feriados, em dois horários, em trajetos de ida e volta. O trajeto oferece inúmeros atrativos, desde a paisagem, passando pela história e cultura, até práticas de ecoturismo e esportes radicais.

O pequeno trecho ferroviário que integra a malha Centro-Leste – sob concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) – se eleva, a partir de Viana, de uma altitude de 15 metros acima do nível do mar até 530 metros em aclive brusco ao chegar em seu ponto final, a Estação de Araguaia, em Marechal Floriano. A trajetória oferece paisagens de tirar o fôlego, entre pontes, túneis, abismos e cachoeiras que brotam do trecho de Mata Atlântica autêntico que ainda reveste a Serra do Mar.

 

Litorina

Veículo com motorização própria, janelas panorâmicas e ar refrigerado. Serviço de bordo com água e refrigerante, kit lanche diferenciado e guia.

Capacidade total: 56 passageiros – 1 vagão

Cancelamentos ou Alterações

De acordo com normas internas, cancelamentos ou transferências de data deverão ser feitos 24h antes do embarque, mediante multa de 30%, sendo obrigatória a apresentação do bilhete para fins de cancelamento. Em caso de reembolso, o mesmo será efetuado via depósito em conta-corrente em até 7 dias úteis.

Menores de 18 Anos

– Os valores de crianças são válidos de 6 a 12 anos. Até 5 anos, gratuidade desde que não ocupem assento (exceto seguro obrigatório, no valor de R$ 10,00 cada trecho).

– Para seguro, não há aplicação de desconto.

– De acordo com a Lei 8069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), artigo 83, parágrafo primeiro, crianças até 12 anos precisam estar acompanhadas dos pais ou do responsável ou de pessoa maior, expressamente autorizada pelos mesmos, para viajar.

– Crianças até 12 anos precisam também apresentar documento de identidade ou certidão de nascimento na hora do embarque.

Formas de Pagamento

– Dinheiro

– Cartão de crédito, em até 6x no Visa, MasterCard e Hipercard

– Não é aceito cheques

 

Outras Informações

– Passagens sujeitas à disponibilidade.

– Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.

– No caso de suspeita de GRIPE A, a passagem só será transferida mediante documento probatório (atestado/laudo médico).

– Em caso de situações de força maior, que impeçam a circulação do trem, interrompendo o passeio, a Serra Verde Express fará o reembolso integral da passagem ou a remarcação em outra data à escolha do passageiro. A forma de devolução ocorrerá na mesma modalidade do pagamento realizado. No caso de cartão de crédito, o valor integral será depositado em conta corrente, indicada pelo passageiro, imediatamente após o repasse da última parcela à Serra Verde Express.

Tarifas
R$ 112,00 (somente Ida) R$ 52,00 (criança somente ida).
Tarifa promocional de ida e volta no mesmo dia R$ 160,00 (adulto) e R$ 82,00 (criança).

VITÓRIA – ES
Fone:
 27 3237-1789 | 99265-6674
Endereço: Av. Gelu Vervloet dos Santos, nº500 – Sala 603 – Ed. Omni Office Tower – Jardim Camburi – Vitória
E-mail: vitoria@serraverdeexpress.com.br

Horário de Atendimento:
Segunda a sexta: 9h às 18h30

ESTAÇÃO DE VIANA – ES
Endereço: Rua Coronel Vieira Pimentel , s/n  – Centro

Horário de Atendimento:

Aos sábados e domingos das 7h às 10h30

Deixe uma resposta