Antt e Dnit discutem criação do INPF – Instituto Nacional de Pesquisas Ferroviárias

trem-de-carga

Representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) se reuniram com membros da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O diretor de Infraestrutura Ferroviária do DNIT, Mario Dirani, e o coordenador-geral do Consórcio STE/Siscon, Wellington Sarmento, apresentaram ao diretor-geral da ANTT, Jorge Bastos, a concepção e modelagem previstas para a criação do Instituto Nacional de Pesquisas Ferroviárias (INPF) e o andamento das providências que visam a sua implementação.

O projeto de criação do instituto tem o objetivo de desenvolver o conhecimento da engenharia ferroviária, bem como o domínio e a atualização permanente da tecnologia do setor. A ANTT, o DNIT, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), a Valec e o Consórcio STE/Siscon fazem parte do grupo de trabalho, que tem reuniões semanais, nas quais são debatidas pautas como identificação de fontes de recursos públicos e privados, que possibilitem a sustentabilidade do INPF, e a elaboração da documentação legal necessária para a sua criação por meio de lei específica. Esse grupo dará origem ao Núcleo Executivo do instituto, que desenvolverá atividades necessárias até a promulgação da lei de criação.

A Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), o Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre), a Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) também fazem parte do projeto.
Próximos passos – No mês de novembro, durante a feira “Negócios nos Trilhos”, que acontecerá em São Paulo, está prevista a realização de uma reunião para preparação de um acordo de cooperação técnica com o DNIT, visando dar continuidade aos trabalhos em prol da criação do instituto.

Leia mais: https://brasilagro.wordpress.com/2015/11/03/antt-e-dnit-discutem-criacao-do-instituto-nacional-de-pesquisas-ferroviarias/

Fonte: ANTUERF